Maio Bordô

O QUE É ENXAQUECA?

A enxaqueca é uma doença hereditária e multifatorial. Isso significa que pode ser transmitida geneticamente e que o ambiente e o estilo de vida podem contribuir para o desenvolvimento. Cada pessoa tem uma predisposição individual à enxaqueca e diferentes gatilhos podem desencadear crises. Identificar seus gatilhos pessoais é essencial para controlar a doença.

A boa notícia é que a enxaqueca pode ser tratada! Existem tratamentos eficazes para aliviar as dores e diminuir a frequência das crises.

Alguns tipos de enxaqueca:

1. Enxaqueca sem aura: a mais comum e apresenta dor de cabeça latejante, sensibilidade à luz e som, náusea e/ou vômito.

2. Enxaqueca com aura: sintomas neurológicos transitórios como visão turva, luzes piscando ou pontos cegos podem surgir de 20 minutos a uma hora antes da dor de cabeça começar.

3. Enxaqueca com aura sem dor de cabeça: apresenta os mesmos sintomas neurológicos da enxaqueca com aura, mas não há dor de cabeça que a acompanhe.

4. Enxaqueca hemiplégica: rara e grave, pode causar fraqueza muscular, paralisia temporária de um lado do corpo e dificuldade para falar.

5. Enxaqueca vestibular: causa tontura, desequilíbrio, náusea, vômito e dor de cabeça.

6. Enxaqueca basilar: também rara, pode causar dificuldade para falar, vertigem, problemas de visão e audição, além de dor de cabeça.

7. Enxaqueca crônica: quando a enxaqueca se torna frequente e ocorre mais de 15 dias por mês.

8. Enxaqueca menstrual: ocorre em torno do período menstrual de uma mulher, devido às flutuações hormonais. Os sintomas podem ser semelhantes aos da enxaqueca comum, mas podem ser mais graves e durar mais tempo.

O que causa a enxaqueca?

A ciência ainda não conseguiu descobrir por que as pessoas tem enxaqueca.

Os especialistas acreditam que a enxaqueca seja o resultado de uma atividade cerebral anormal que afeta os sinais nervosos, a química e os vasos sanguíneos do cérebro

Contudo, também não se sabe ainda o que causa esta atividade cerebral anormal…

Para 60% das pessoas com enxaqueca, a explicação pode ser genética, fazendo estas pessoas serem mais sensíveis às mudanças no ambiente.

Esta seria a razão da enxaqueca ser mais comum em algumas famílias que em outras.

Quais são os sintomas mais comuns da enxaqueca?

  • Dor na cabeça. 

A dor é geralmente na testa, ao redor do olho, na têmpora ou na parte de trás da cabeça.

Pode ser unilateral ou em ambos os lados da cabeça.

  • Dor no pescoço. 

É comum haver dor no pescoço antes, durante e depois de um ataque de enxaqueca.

A dor no pescoço pode começar horas antes da dor na cabeça e durar muito tempo após a enxaqueca passar.

  • Náuseas e vômitos.

É comum haver mudança no apetite, náuseas e vômitos.

Algumas pessoas acreditam que os sintomas da enxaqueca melhoram depois de vomitar.

  • Aura.

A aura é uma alteração sensorial, que pode ser visual, de linguagem ou motora.

Geralmente ocorre antes da dor de cabeça e pode durar de 05 minutos a uma hora.

  • Sensibilidade à luz, cheiro, sons e toques. 

A pessoa pode se sentir desconfortável com níveis normais destes estímulos.

Este é o motivo porque as pessoas preferem ficar sozinhas em um quarto silencioso e escuro durante um ataque de enxaqueca.

Qual a melhor forma de fazer um tratamento preventivo para enxaqueca?

  • Tratar a enxaqueca inclui fazer um bom tratamento preventivo.
  • A medicação preventiva deve ser tomada regularmente, independentemente de estar presente a dor.
  • O objetivo é reduzir a incidência de ataques graves ou frequentes.
  • O tratamento preventivo pode incluir medicamentos como topiramato, gabapentina, tizanidina, fluoxetina, amitriptilina, valproato ou injeções locais de neurotoxina botulínica.
  • Terapias alternativas e comportamentais também são tratamentos preventivos eficazes.
  • Deve-se ter expectativas realistas em relação ao benefício do tratamento preventivo, considerando que é esperada uma redução, mas não eliminação da enxaqueca.